Pressa leva pra onde?

Seja por gostar de velocidade ou por estar apressado, a pressa tem levado motoristas para um local que não desejavam, e já é o segundo maior fator responsável pelas mortes no trânsito no Brasil.

 

Dirigir em velocidade elevadas não é seguro, e disso todos sabem. A grande dificuldade é tornar os motoristas mais responsáveis em relação à velocidade de deslocamento, seja pelos apressadinhos que gostam de andar rápido, ou por aqueles que saem do ponto de partida atrasados e querem compensar no caminho. Por conta deles, não são poucos os flagras de veículos trafegando em velocidade acima da permitida pelas ruas, avenidas e rodovias.

 

Carros, motos, caminhões, independente de qual veículo seja, devem respeitar o limite de velocidade imposto pela lei, pois este limite está lá por algum motivo, e sem dúvida o principal é a sua segurança. A velocidade, além de aumentar o risco de uma batida, ainda aumenta a gravidade dos ferimentos, pois quanto mais rápido o veículo está no momento da colisão, mais graves são as consequências. A força do impacto de uma colisão aumenta em até 65%, entre uma batida a 70km/h ou a 90 km/h, por exemplo, potencializando o risco de ferimentos e traumas.

 

O choque entre dois carros já é algo muito grave, porém quando falamos em um choque entre carro e moto, ou entre carro e pedestre, a situação é ainda mais delicada, devido à falta de proteção ao redor do corpo. E é por conta desse impacto da velocidade sobre os efeitos dos acidentes, que as mortes causadas pelo excesso dela já são tão representativos no Brasil e em todo o mundo, e se não houver uma atitude em conjunto, esses efeitos só irão piorar.

 

Neste Maio Amarelo, queremos lembrar que frear só no radar não é uma atitude correta com você mesmo e com as outras pessoas, pois apesar de estar driblando a lei e evitando multas, você continua colocando em risco a sua e as outras vidas que estão ao seu redor.

 

Transformar os hábitos ao volante e passar a respeitar os limites de velocidade independentemente de quantos radares existam no caminho, passar a entender o trânsito como um conjunto no qual você é responsável pelas outras vidas que estão ali presentes, e que definitivamente, a pressa não irá te levar pra nenhum lugar melhor do que a prudência levaria. Respeitar o limite de velocidade é educação, responsabilidade e cidadania.

Existe velocidade mínima para dirigir?

 

Sabe aquele motorista lerdo que está dirigindo bem na sua frente? Será que ele está apenas sendo cauteloso ou está dirigindo abaixo da velocidade mínima?

speedometer-1

Alguns itens são levados em consideração para se determinar a velocidade ideal para cada via como: o tipo de piso, condições climáticas, quantidade e posição de pedestres, motociclistas, caminhões e elementos do trânsito.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (Artigo 219) a velocidade mínima não poderá ser inferior à metade da velocidade máxima estabelecida, respeitadas as condições operacionais de trânsito e da via.     

Quando um motorista anda em velocidade excessivamente baixa ele acaba causando o retardo ou obstrução no trânsito não permitindo que os outros veículos trafeguem na velocidade adequada.

Apesar dessa violação ser passível de multa, a medição desta infração de trânsito praticamente não ocorre em nosso País, pois somente é possível punir o condutor de um veículo em velocidade excessivamente baixa, se houver a utilização de equipamento medidor de velocidade. Porém, nossos radares são ajustados para registrar os veículos que passam demasiadamente rápidos pelo local de fiscalização e não lentos demais…

670-radares-9866898(1)

 

Logicamente existem algumas exceções onde essa infração não é aplicada, como no caso de congestionamentos, condições meteorológicas ruins ou se o veículo lento estiver na faixa da direita.

Tão importante quanto o controle do excesso de velocidade, colocar a velocidade mínima em vias públicas é questão de fundamental importância para se evitar acidentes.

Agora que você já sabe tudo sobre esse assunto, que tal fazer uma visitinha pra gente no site da Itaro?!  Acesse: http://bit.ly/Venha-para-a-Itaro e confira nossas promoções!

As 10 melhores ultrapassagens de brasileiros na F1

Os Brasileiros construíram uma história marcada por muitas vitórias, paixões e ultrapassagens na Fórmula 1. Isso mesmo. Separamos as 10 melhores ultrapassagens de pilotos Brasileiros na F1. Vai dar saudade relembrar.

Top 10 das melhores ultrapassagens da F1 (por ordem decrescente)

10. Massa vs Button – GP do Bahrein de 2014
Em um dos circuitos mais bonitos da tempora 2014 da Fórmula 1, o brasileiro Felipe Massa fez uma ultrapassagem clássica em cima de Jenson Button, que tentava se defender, mas teve medo de perder o traçado da pista e acabou permitindo a ultrapassagem.

9. Senna vs Hakkinen – GP da Bélgica de 1992.
Ayrton Senna e Mika Hakkinen travam uma acirrada briga pelo 5º lugar. Senna, fazendo retomadas de curvas muito mais rápido do que Hakkinem, consegue fazer uma linda ultrapassagem, forçando por fora do traçado da pista.

8. Massa vs Kubica – GP do Japão de 2007
Felipe Massa, quando ainda era pilodo da Ferrari, travou uma bela briga com Robert Kubica – com direito a passeio na grama e tudo. A forte chuva deixou a briga ainda mais bonita, e o bom: o brasileiro levou a melhor.

7. Barrichello x Ralf Schumacher – GP da Itália de 2003
Nosso Rubens Barrichello fez uma das mais belas ultrapassagem de sua carreira pra cima de Ralf Schumacher. Ele enganou, brilhantemente, o alemão em uma curva em “S”, fazendo uma ultrapassagem ousada. Porém, o melhor foi ver a vibração do Rubinho pela manobra bem sucedida – parece que ele fez um gol.

6. Massa vs Rubinho e Kovalainen – GP do Canada de 2008
Dupla ultrapassagem de Massa em Barrichello e Heikki Kovalainen. Enquando Rubinho e o finlandês brigavam pela 4ª posição se espalhando na curva, Massa vem por dentro e ultrapassa os dois sem cerimônias.

5. Bruno Senna vs Felipe Massa – GP de Singapura de 2012
Os dois brasileiros, Felipe Massa e Bruno Senna, travam uma linda briga – Massa corria pela Ferrari e Senna pela Williams. O carro de Senna claramente era mais rápido nas retas, mas o de Massa era melhor nas retomadas de curva. Quando eles passam por uma sequência de curvas, Massa ataca e os dois quase se tocam. Massa levou a melhor.

4. Barrichello vs Shumacher – GP da Hungria de 2010
Os privilégios dados a Michael Schumacher pela Ferrari nunca foram engolidos por Barrichello, em uma ultrapassagem com gosto de revanche – quando Rubinho corria pela Williams e Schumacher pela equipe Mercedes -, o brasileiro não se intimidou com a fechada do alemão, que o jogou pra cima do muro. Barrichello trouxe o carro de volta a pista e fez a ultrapassagem no Schumacher.

3. Senna vs Hill – GP do Brasil de 1993
Correndo em casa e com pista molhada, Senna tinha o cenário perfeito para proporcionar espetáculo. E não foi diferente. O piloto brasileiro havia perdido a posição nos boxes para Damon Hill, mas, conhecendo a pista como poucos, Senna mergulhou na retomada da famosa curva em sua homenagem – o “S” do Senna – dando um lindo “drible” em Damon Hill.

2. Piquet vs Senna – GP Hungria de 1986
Os brasileiros Nelson Pique e Ayton Senna sempre travaram boas brigas nas pistas, mas essa foi especial. Todos sabiam que não era fácil ultrapassar Senna, mas Piquet provou, naquele dia, que era possível. Ele fez uma das ultrapassagem mais plásticas da história da Fórmula 1, com o seu carro chegando a ficar completamente de lado na curva e derrapando os pneus.

1. Senna e a “volta fantástica” – GP da Europa de 1993
No topo do nosso ranking, não podia ser outro momento senão o de Ayrton Senna no GP da Europa, fazendo o que ficou conhecido como “a volta mais fantástica da história da Fórmula 1”. Senna largava na 4ª posição e em uma única volta, a primeira da corrida, ele conseguiu perder e recuperar a 4º posição e ainda ultrapasasr mais 3 carros a sua frente, assumindo a ponta antes de completar a volta. Detalhe: aquele dia choveu muito.

Você também vai gostar de ler: Novidade na Fórmula 1: carros poderão usar pneus aro 18

Pista radical de drift traz Need For Speed para a realidade

Os criadores do ‘Need for Speed’ fizeram um vídeo pra lá de animal para promover a versão mais atual do game.

Em uma pista radical, que lembra uma máquina de pinball (não é do seu tempo, né?), o piloto fez manobras e drifts improváveis, que poderíamos imaginar possíveis só em pistas virtuais.

Porém, acredite, elas são reais e não tem como a gente não soltar um “uaaauuu” ao fim de cada curva.

Uma curiosidade é que os pneus usados para o drift são especiais, geralmente run flat e com borrachas mais resistentes, especiais para suportar a derrapagem. São pneus realmente fan-tás-ti-cos.

 

Pista radical e real do Need For Speed

O game ‘Need for Speed’ é famoso pelas corridas com carrões estilosos e superesportivos realizadas em locais exóticos e inusitados. O jogador pode viajar por cenários incríveis enquanto faz suas manobras radicais.

Need for Speed – O filme

Este ano, o game ganhou as telonas do cinema em um filme de muita ação e aventura. O longa-metragem, dirigido por Scott Waugh, foi visto por mais 590 mil brasileiros.

Sinopse ‘Need for Speed’

Tobey Marshall (Aaron Paul) é um piloto que curte rachas. Ele herdou do pai uma oficina mecânica, onde modifica carros com os amigos (tuning cars). Tobey encontra o ex-piloto da Fórmula Indy Dino Brewster (Dominic West), um velho rival. Em uma disputa de racha entre os dois, Pete (Harrison Gilbertson), que é o amigo de Tobey e também participava da corrita sofre um acidente e morre. Tobey é considerado culpado pela morte do amigo e passa dois anos na prisão. Quando volta à liberdade, organiza um plano para participar de uma corrida do submundo, na qual Dino também correrá.

Trailer ‘Need for Speed’