Encerramento do Maio Amarelo convida à reflexão sobre o trânsito

Chegando ao final da quinta edição, a campanha Maio Amarelo deixa reflexões para que até a chegada da próxima campanha tenhamos números mais otimistas em nosso trânsito.

 

A campanha deste ano, com o tema “Nós Somos o Trânsito” chamou a atenção para a representatividade da falta de atenção e da imprudência nos acidentes de trânsito, principalmente aqueles com feridos e mortos. O excesso de velocidade, o uso do celular e o consumo de álcool antes de dirigir, são fatores que vêm trazendo graves danos ao trânsito no Brasil.

 

O trânsito é composto por diversos elementos, e a sincronia entre eles é essencial para um bom funcionamento. Dentro dessa sincronia, a proteção de uns aos outros é fator que se alia ao cumprimento das leis e à consciência de todos que participam, a fim de chegar a um funcionamento perfeito, com respeito, tolerância e um trânsito que não seja agressivo.

 

A campanha deste ano alertou sobre a atenção às sinalizações que muitas vezes são ignoradas, como as faixas de pedestres, e que o respeito a elas salva vidas. Uma das medidas tomadas durante a campanha, foi a pintura de faixas de pedestre na cor da campanha (amarelo) pelas ruas. É uma forma de chamar a atenção e alertar sobre este tipo de sinalização, que deve ser respeitada – por motoristas e pedestres, mesmo quando não houver um semáforo sinalizando-a.

 

Uma boa prática lembrada também, foi a do planejamento para encarar os trajetos. Com menos pressa para cumprir atrasos, o motorista se torna menos estressado, o que transforma automaticamente o trânsito em um lugar com mais gentileza e tranquilidade. Com mais tranquilidade, a atenção àquilo que se está fazendo também é maior.

 

Quando o motivo da campanha já nos lembra que somos nós os responsáveis pelos resultados no trânsito, fica o convite a entender cada situação do trânsito como uma escolha. Atender o celular ou não atender? Beber antes de dirigir ou não beber? Ultrapassar o limite de velocidade? Dar passagem ao pedestre?  É um convite também para rever costumes da direção que não são responsáveis e que podem trazer graves consequências para o próximo e para nós mesmos. Um convite para que em Maio de 2019 tenhamos números mais otimistas, com menos mortes e acidentes e com um trânsito com mais paz.

Pressa leva pra onde?

Seja por gostar de velocidade ou por estar apressado, a pressa tem levado motoristas para um local que não desejavam, e já é o segundo maior fator responsável pelas mortes no trânsito no Brasil.

 

Dirigir em velocidade elevadas não é seguro, e disso todos sabem. A grande dificuldade é tornar os motoristas mais responsáveis em relação à velocidade de deslocamento, seja pelos apressadinhos que gostam de andar rápido, ou por aqueles que saem do ponto de partida atrasados e querem compensar no caminho. Por conta deles, não são poucos os flagras de veículos trafegando em velocidade acima da permitida pelas ruas, avenidas e rodovias.

 

Carros, motos, caminhões, independente de qual veículo seja, devem respeitar o limite de velocidade imposto pela lei, pois este limite está lá por algum motivo, e sem dúvida o principal é a sua segurança. A velocidade, além de aumentar o risco de uma batida, ainda aumenta a gravidade dos ferimentos, pois quanto mais rápido o veículo está no momento da colisão, mais graves são as consequências. A força do impacto de uma colisão aumenta em até 65%, entre uma batida a 70km/h ou a 90 km/h, por exemplo, potencializando o risco de ferimentos e traumas.

 

O choque entre dois carros já é algo muito grave, porém quando falamos em um choque entre carro e moto, ou entre carro e pedestre, a situação é ainda mais delicada, devido à falta de proteção ao redor do corpo. E é por conta desse impacto da velocidade sobre os efeitos dos acidentes, que as mortes causadas pelo excesso dela já são tão representativos no Brasil e em todo o mundo, e se não houver uma atitude em conjunto, esses efeitos só irão piorar.

 

Neste Maio Amarelo, queremos lembrar que frear só no radar não é uma atitude correta com você mesmo e com as outras pessoas, pois apesar de estar driblando a lei e evitando multas, você continua colocando em risco a sua e as outras vidas que estão ao seu redor.

 

Transformar os hábitos ao volante e passar a respeitar os limites de velocidade independentemente de quantos radares existam no caminho, passar a entender o trânsito como um conjunto no qual você é responsável pelas outras vidas que estão ali presentes, e que definitivamente, a pressa não irá te levar pra nenhum lugar melhor do que a prudência levaria. Respeitar o limite de velocidade é educação, responsabilidade e cidadania.

Respeito às sinalizações

A rotina estressante do trânsito nas grandes cidades muitas vezes tira bons hábitos dos motoristas, como respeitar as sinalizações. Isso muda completamente a segurança nesses trajetos.

 

Dirigir por horas e muitas vezes em engarrafamentos cansa e estressa os motoristas, que na maioria das vezes, já não vêm a hora de largar o volante e chegar ao seu destino. Esses trajetos estressantes, são responsáveis por mudanças de hábitos de quem dirige, que alteram completamente a segurança no trânsito.

 

Dirigir nervoso, geralmente faz com que hábitos simples se deixem de lado, aumentando a chance de acidentes que muitas vezes podem até ser fatais. Claro que não é o único motivo e que apenas um motorista melhor não irá resolver o caos nas avenidas da cidade, mas se cada um fizer a sua parte, é possível melhorar. A Itaro quer relembrar sinalizações simples e extremamente importantes no dia a dia.

 

1 – Parar antes da faixa de pedestres: quem nunca viu uma cena do trânsito parado logo à frente, pedestres aguardando para atravessar, e o semáforo fecha. Neste momento, um carro está sobre a faixa de pedestres. É uma situação comum, e muito simples de ser resolvida. Se houver risco de ficar parado ali, sempre pare antes da faixa de pedestres. A sinalização é clara: Nunca feche o cruzamento. Isso aumenta muito a segurança da travessia, pois os outros motoristas terão a visão correta dos pedestres. Também evita a multa de parar sobre a faixa de pedestres, que é uma infração de trânsito punida com multa de pontos na habilitação.

 

2 – Ligar a seta: seja para fazer uma conversão em uma rua, ou mudar de faixa, é obrigatório ligar a seta. Você sinaliza para quem está na frente, ao lado e atrás, que devem se atentar para uma mudança de direção e possível redução de velocidade. Seja para os pedestres, outros carros ou motos, isso é muito importante. Grande parte dos acidentes que ocorrem nos “corredores de motos”, são por conta da somatória de alta velocidade com a falta do hábito de ligar a seta.

 

3 – Uso do farol baixo: desde 2016 é obrigatório utilizar os faróis baixos em rodovias mesmo durante o dia. O grande problema está na cidade, que por não ser obrigatório, muitas pessoas deixam de fazê-lo até mesmo em horários nos quais a sinalização se torna mais importante. Carros mais modernos em que o painel fica aceso constantemente, fazem com que muitas pessoas esqueçam de acender os faróis até mesmo a noite. Torne como hábito sempre verificar os faróis acesos, isso ajuda muito a enxergar e a ser visto.

 

4 – Respeitar a velocidade: não importa o seu tipo de veículo e a sua pressa, o limite de velocidade tem que ser respeitado. A velocidade elevada está no topo entre os maiores causadores de mortes no trânsito. Seja responsável e respeite os limites das vidas. E se você quiser andar um pouco mais devagar, não tem problema, mas deixe a esquerda livre para quem quer (ou precisa) andar mais rápido.

 

5 – Seja gentil: atitudes como dar passagem para uma travessia de um pedestre ou para outro motorista entrar na sua frente, não vão fazer com que o seu trajeto seja alongado de forma significativa. Ter cuidado ao entrar em rotatórias, respeitando a preferência é muito importante.

 

O respeito à sinalização faz parte das nossas ações perante o trânsito que podem modificar tudo o que traz resultados negativos atualmente, traduzidos em multas, acidentes, ferimentos e mortes. Neste Maio Amarelo, a Itaro quer mostrar que cada um pode fazer um pequeno gesto, que em conjunto com outros, se traduzem em grandes resultados!

A responsabilidade no trânsito é de todos

A forma de observar o trânsito nas grandes cidades pode transformar a segurança e o bem-estar na sua rotina. Entenda a sua parte nessa jornada!

 

Cada vez mais caótico e com maior número de veículos, o trânsito das grandes cidades torna-se mais perigoso a cada ano que passa. São milhares de acidentes e mortes que muitas vezes poderiam ser evitados com simples atitudes dos elementos que compõem o cenário, e tudo é comandado por nós.

 

Se você já mudou de faixa sem ligar a seta, dirigiu teclando no celular, atravessou a rua fora da faixa ou ultrapassou pela direita, saiba que você já foi um potencial causador de um acidente, e se ele não ocorreu, provavelmente foi por sorte ou por cuidado de outras pessoas que estavam próximas a você.

 

A falta de atenção é um dos maiores causadores de acidentes, pois com a atenção focada em outras coisas, a reação é sempre mais lenta, seja a pé, de moto, carro ou qualquer outro veículo. Entender a prática de dirigir como algo que requer atenção e envolve perigo, é um passo inicial importantíssimo para tornar o trânsito melhor.

 

Planeje suas ações no trânsito, analise o que costuma fazer que não é desejável, e aproveite o Maio Amarelo para ter consciência que tem sua função em melhorar a rotina do trânsito através de atitudes positivas, protegendo a si mesmo e a quem está ao redor.

 

Evitar as infrações no trânsito, não é só uma questão de não tomar multas que custam dinheiro e pontuação na carteira, mas sim uma maneira de minimizar os riscos. As leis estão lá por algum motivo, pode ter certeza, e um dos grandes motivos para a criação delas, é proteger a sua vida.

 

O Maio Amarelo deste ano traz consigo o tema Nós Somos o Trânsito, que em uma pequena frase resume o papel de cada um de nós, de mesmo que começando por pequenas ações, transformemos a maneira de agir e possamos criar juntos um ambiente mais amigável, com menos acidentes e mortes.

Maio Amarelo – Nós somos o trânsito

Em sua quinta edição, o Maio Amarelo tem como tema Nós Somos o Trânsito, e é um movimento criado para conscientizar as pessoas com diálogos e ações, com o intuito de transformar as maneiras de lidar com o trânsito, tornando-o mais seguro.

 

O mês e a cor escolhidos não é por acaso, a saber: maio por ter sido o mês no qual a ONU declarou a década de ação para a segurança no trânsito, e amarelo pois é a cor que representa atenção nas sinalizações de trânsito.

 

O Maio Amarelo tem a importante missão de unir o governo, sociedade e empresas com ações repletas de diálogo e informações, criando discussões e mostrando a necessidade da mudança rápida e urgente na redução de acidentes com vítimas no trânsito. Seja com ou sem um veículo, todos tem suas responsabilidades com o trânsito.

 

O Brasil hoje é o quinto entre os países recordistas em mortes no trânsito, atrás apenas da Índia, China, EUA e Rússia. Considerando os outros próximos 5 países, que compõem a lista dos 10 recordistas, temos os 62% das mortes no trânsito. É uma quantidade representativa em relação à quantidade de países, já que diariamente, três mil vidas são perdidas no trânsito. Esta é a nona maior causa de mortes no planeta.

 

Segundo estimativa da OMS, caso nada mude nos próximos anos em relação às mortes, deverão morrer 1,9 milhão de pessoas em 2020, chegando a 2,4 milhões em 2030, além de milhões de sobreviventes com ferimentos e traumatismos, provenientes de acidentes de trânsito. A Década de Ação para a Segurança no Trânsito tem como foco poupar cinco milhões de vidas até o início da próxima década.

 

A ação do Maio Amarelo é uma maneira de mostrar que pequenas atitudes individuais podem tornar o trânsito mais seguro, já que a maioria dos acidentes são resultado de falhas humanas, como falta de atenção ou imprudência. Durante o mês de Maio, no Blog da Itaro você acompanha uma série de posts especiais sobre o tema, acompanhe!

Tudo sobre carros compartilhados!

Muito comum na Europa e nos Estados Unidos,o car sharing (carro compartilhado, em inglês) está ganhando espaço aqui no Brasil. Já são pelo menos seis empresas que atuam reguladas ou que entraram com requerimento na Prefeitura de São Paulo para prestar esses serviços. A cidade foi considerada ideal pois possui uma população de 11 milhões de habitantes, transporte público pouco desenvolvido e serviços regulados.

Diferente do que as pessoas pensam, a ideia não é abandonar o automóvel, mas usá-lo só quando necessário. Porém, todos sabem como está cada vez maior o custo de se manter um veículo próprio, não é? A proposta de não precisar pagar estacionamento, seguro e combustível é realmente tentadora e muitos acabam vendendo seu carro para utilizar apenas os compartilhados.

n-UBER-large570

Para poder utilizar o serviço o usuário faz um cadastro na empresa , assina uma mensalidade ou anuidade, recebe um cartão e já pode usar os veículos.

A reserva pode ser feita pelo telefone ou pela internet, o cliente informa local, data e horário da retirada e devolução. O pagamento é feito por transferência bancária intermediada pela empresa, que cobra 10% do valor da transação. Caso o motorista atrase a devolução, será multado em R$ 12,50 a cada 15 minutos de atraso, mais a hora excedente do veículo.

Além da assinatura obrigatória, o usuário paga o valor correspondente ao aluguel do carro, cobrado por hora, e a quilometragem rodada. Preços variam conforme o modelo escolhido e o combustível fica por conta da empresa, ao contrário de quando se aluga um veículo.

O plano de assinatura pode estar com valores entre R$15 e R$45 – o preço dependerá de quantas vezes o carro for usado,  mais R$ 3,90 por hora usada e R$ 0,89 por km rodado, e não é possível retirá-lo em um ponto e devolvê-lo em outro.

Após ter o cadastro confirmado pela empresa, o cliente recebe um cartão para destravar o veículo em um dos 50 pontos da cidade. Ao entrar no carro, o usuário retira as chaves no porta-luvas e preenche formulário com as condições do veículo (o carro só liga após o preenchimento). Já o combustível fica por conta da empresa, no carro há um cartão para abastecer na rede conveniada.

Presentation des premieres voitures electriques Bluecar du service francilien d'autopartage Autolib/BORNE DE RECHARGE AUTOLIB' Vaucresson le 30 septembre 2011

Parece um ótima idéia não??? Até mesmo as montadoras já estão investindo no negócio de car-sharing. A GM lançou um projeto piloto que consiste em uma frota de veículos que pode ser alugada, por exemplo, para o trajeto da casa ao trabalho. O serviço ainda está em fase de testes na fábrica de São Caetano do Sul (SP) e deve chegar à capital até o fim do ano. Vamos torcer né? Afinal, esse tipo de serviço poder proporcionar uma mobilidade mais sustentável, com uma emissão menor de poluentes, baixa poluição sonora e, é claro, tentar ajudar na hora de desafogar o trânsito das cidades!

Esse tipo de idéia fornece uma alternativa inovadora para o deslocamento na cidade, promovendo também benefícios econômicos, sociais e ambientais e buscam aumentar a qualidade de vida da população como um todo.

Então, vamos apoiar né? E torcer para que seja acessível a todos!

Agora que você já sabe a importância do compartilhamento de carros, faça uma visitinha pra gente no site da Itaro e aproveite a promoção! Acesse: http://bit.ly/Venha-para-a-Itaro e confira!

Maio Amarelo: por um trânsito melhor

É inegável que o volume de veículos nas ruas têm aumentado consideravelmente nas últimas décadas. São carros, motocicletas, caminhonetes e bicicletas circulando por aí todos os dias, lutando por espaço e respeito. Em meio a tudo isso, ainda há os pedestres que também compõem o que chamamos de trânsito.

Laço representante do movimento Maio AmareloA fim de conscientizar toda essa massa que transita pela cidade todos os dias sobre os altos índices de acidentes e mortes no trânsito pelo mundo, foi criado o “Maio Amarelo”. Bem parecida com o “Outubro Rosa” e o “Novembro Azul”, a ação é coordenada numa parceria entre poder público e sociedade civil.

O Maio Amarelo traz à tona temas como a segurança viária, mobilizando as pessoas a discutir e refletir sobre os efeitos práticos que cada um tem no trânsito. A ideia é fazer com que as pessoas pensem que suas atitudes influenciam em todo o conjunto e impacta não só os envolvidos, mas também a cadeia. Afinal, se você bate o carro em determinado local, o fluxo naquela região será alterado devido ao incidente.

Os idealizadores do projeto referem-se ao Maio Amarelo não como campanha, mas como movimento. Por isso, qualquer cidadão ou empresa pode criar ações internas e externas em prol de um trânsito melhor, trazendo à sociedade a consciência de que acidentes devem ser tratados como epidemia, sendo combatidos como tal.

Participe do Maio Amarelo! Sua atitude de respeito com o próximo pode refletir nos demais e, assim, criar uma rede de cidadãos preocupados com os demais, sejam eles veículos, bikes ou pedestres.

Tudo que você precisa saber sobre pneus para a cidade

O pneu ideal para o trânsito

Você é do tipo de motorista que roda a maior parte do tempo em zonas de trânsito intenso? (Quem não é hoje em dia, não é?) Se a resposta é positiva, então você precisa principalmente de um pneu resistente e econômico, ideal para circular na cidade.

Vamos às dicas Para escolher um produto resistente e durável, você deve levar em consideração a construção da carcaça. Ela deve ter sido reforçada na fabricação, ou seja, internamente o pneu precisa contar com várias camadas de revestimentos de aço, nylon e poliéster. Os pneus que possuem os 3 materiais geralmente possuem vida útil prolongada.

Mas não é só a carcaça que interessa. Você precisa de um composto um pouco mais compacto do que o convencional. Ou seja, uma borracha mais dura, para ajudar a garantir a durabilidade do pneu. Mas cuidado, pneus duros demais podem comprometer sua segurança.

 

Economia

O que mais influência no consumo de combustível é o composto da borracha do pneu.

Se você pensa mesmo em reduzir os custos com combustível, então opte pelos chamados pneus verdes. Eles possuem um composto chamado ‘sílica’ que evita que o pneu se agarre ao chão e force o motor a exercer mais força para mover o veículo.

Esse tipo de pneu pode custar um pouco mais caro do que os convencionais, mas vale a pena investir neles. No fim das contas, o valor que você irá economizar em combustível será maior do que a diferença de preço entre os pneus.

 

Ponto negativo

Não existe um pneu exatamente ideal, que ofereça todos os atributos e características desejadas. Para se ter um pneu durável e, ao mesmo tempo, econômico, você precisará aceitar um menor grau de conforto, por exemplo. Isto é, para ser extremamente durável, o pneu precisará ter um composto mais duro e uma construção mais robusta, que o deixa mais barulhento e com um rodar menos suave.

Por outro lado, quem não enfrenta o trânsito com muita frequência e possui um carro de família, precisa optar por um pneu com uma vida útil menor, porém com excelente conforto.

Esse é o contrapeso dos atributos de um pneu, e cabe a você, consumidor, definir quais necessidades o pneu deve atender. Nós da Itaro estamos aqui para te ajudar, claro. Não deixe de ler nossos informativos e de falar com nossa equipe de consultores via SAC.  ;]

 

Atravesse a tempo

Quem nunca atravessou o sinal amarelo porque não daria tempo de frear? E quem nunca atravessou o sinal amarelo enquanto ele estava quase vermelho e ficou com medo de tomar uma bela multa? Pois é. Seus problemas acabaram! Continuar lendo Atravesse a tempo

Dicas de músicas para ouvir no carro

Dirigir ao som de uma boa música é um daqueles prazeres inenarráveis. Aliás, para muitos de nós, reles mortais que perdemos boa parte do nosso dia em meio ao trânsito caótico das grandes cidades, se não fosse o rádio ligado em uma boa música, certamente o estresse seria maior. Continuar lendo Dicas de músicas para ouvir no carro