Encerramento do Maio Amarelo convida à reflexão sobre o trânsito

Chegando ao final da quinta edição, a campanha Maio Amarelo deixa reflexões para que até a chegada da próxima campanha tenhamos números mais otimistas em nosso trânsito.

 

A campanha deste ano, com o tema “Nós Somos o Trânsito” chamou a atenção para a representatividade da falta de atenção e da imprudência nos acidentes de trânsito, principalmente aqueles com feridos e mortos. O excesso de velocidade, o uso do celular e o consumo de álcool antes de dirigir, são fatores que vêm trazendo graves danos ao trânsito no Brasil.

 

O trânsito é composto por diversos elementos, e a sincronia entre eles é essencial para um bom funcionamento. Dentro dessa sincronia, a proteção de uns aos outros é fator que se alia ao cumprimento das leis e à consciência de todos que participam, a fim de chegar a um funcionamento perfeito, com respeito, tolerância e um trânsito que não seja agressivo.

 

A campanha deste ano alertou sobre a atenção às sinalizações que muitas vezes são ignoradas, como as faixas de pedestres, e que o respeito a elas salva vidas. Uma das medidas tomadas durante a campanha, foi a pintura de faixas de pedestre na cor da campanha (amarelo) pelas ruas. É uma forma de chamar a atenção e alertar sobre este tipo de sinalização, que deve ser respeitada – por motoristas e pedestres, mesmo quando não houver um semáforo sinalizando-a.

 

Uma boa prática lembrada também, foi a do planejamento para encarar os trajetos. Com menos pressa para cumprir atrasos, o motorista se torna menos estressado, o que transforma automaticamente o trânsito em um lugar com mais gentileza e tranquilidade. Com mais tranquilidade, a atenção àquilo que se está fazendo também é maior.

 

Quando o motivo da campanha já nos lembra que somos nós os responsáveis pelos resultados no trânsito, fica o convite a entender cada situação do trânsito como uma escolha. Atender o celular ou não atender? Beber antes de dirigir ou não beber? Ultrapassar o limite de velocidade? Dar passagem ao pedestre?  É um convite também para rever costumes da direção que não são responsáveis e que podem trazer graves consequências para o próximo e para nós mesmos. Um convite para que em Maio de 2019 tenhamos números mais otimistas, com menos mortes e acidentes e com um trânsito com mais paz.

Pressa leva pra onde?

Seja por gostar de velocidade ou por estar apressado, a pressa tem levado motoristas para um local que não desejavam, e já é o segundo maior fator responsável pelas mortes no trânsito no Brasil.

 

Dirigir em velocidade elevadas não é seguro, e disso todos sabem. A grande dificuldade é tornar os motoristas mais responsáveis em relação à velocidade de deslocamento, seja pelos apressadinhos que gostam de andar rápido, ou por aqueles que saem do ponto de partida atrasados e querem compensar no caminho. Por conta deles, não são poucos os flagras de veículos trafegando em velocidade acima da permitida pelas ruas, avenidas e rodovias.

 

Carros, motos, caminhões, independente de qual veículo seja, devem respeitar o limite de velocidade imposto pela lei, pois este limite está lá por algum motivo, e sem dúvida o principal é a sua segurança. A velocidade, além de aumentar o risco de uma batida, ainda aumenta a gravidade dos ferimentos, pois quanto mais rápido o veículo está no momento da colisão, mais graves são as consequências. A força do impacto de uma colisão aumenta em até 65%, entre uma batida a 70km/h ou a 90 km/h, por exemplo, potencializando o risco de ferimentos e traumas.

 

O choque entre dois carros já é algo muito grave, porém quando falamos em um choque entre carro e moto, ou entre carro e pedestre, a situação é ainda mais delicada, devido à falta de proteção ao redor do corpo. E é por conta desse impacto da velocidade sobre os efeitos dos acidentes, que as mortes causadas pelo excesso dela já são tão representativos no Brasil e em todo o mundo, e se não houver uma atitude em conjunto, esses efeitos só irão piorar.

 

Neste Maio Amarelo, queremos lembrar que frear só no radar não é uma atitude correta com você mesmo e com as outras pessoas, pois apesar de estar driblando a lei e evitando multas, você continua colocando em risco a sua e as outras vidas que estão ao seu redor.

 

Transformar os hábitos ao volante e passar a respeitar os limites de velocidade independentemente de quantos radares existam no caminho, passar a entender o trânsito como um conjunto no qual você é responsável pelas outras vidas que estão ali presentes, e que definitivamente, a pressa não irá te levar pra nenhum lugar melhor do que a prudência levaria. Respeitar o limite de velocidade é educação, responsabilidade e cidadania.

Respeito às sinalizações

A rotina estressante do trânsito nas grandes cidades muitas vezes tira bons hábitos dos motoristas, como respeitar as sinalizações. Isso muda completamente a segurança nesses trajetos.

 

Dirigir por horas e muitas vezes em engarrafamentos cansa e estressa os motoristas, que na maioria das vezes, já não vêm a hora de largar o volante e chegar ao seu destino. Esses trajetos estressantes, são responsáveis por mudanças de hábitos de quem dirige, que alteram completamente a segurança no trânsito.

 

Dirigir nervoso, geralmente faz com que hábitos simples se deixem de lado, aumentando a chance de acidentes que muitas vezes podem até ser fatais. Claro que não é o único motivo e que apenas um motorista melhor não irá resolver o caos nas avenidas da cidade, mas se cada um fizer a sua parte, é possível melhorar. A Itaro quer relembrar sinalizações simples e extremamente importantes no dia a dia.

 

1 – Parar antes da faixa de pedestres: quem nunca viu uma cena do trânsito parado logo à frente, pedestres aguardando para atravessar, e o semáforo fecha. Neste momento, um carro está sobre a faixa de pedestres. É uma situação comum, e muito simples de ser resolvida. Se houver risco de ficar parado ali, sempre pare antes da faixa de pedestres. A sinalização é clara: Nunca feche o cruzamento. Isso aumenta muito a segurança da travessia, pois os outros motoristas terão a visão correta dos pedestres. Também evita a multa de parar sobre a faixa de pedestres, que é uma infração de trânsito punida com multa de pontos na habilitação.

 

2 – Ligar a seta: seja para fazer uma conversão em uma rua, ou mudar de faixa, é obrigatório ligar a seta. Você sinaliza para quem está na frente, ao lado e atrás, que devem se atentar para uma mudança de direção e possível redução de velocidade. Seja para os pedestres, outros carros ou motos, isso é muito importante. Grande parte dos acidentes que ocorrem nos “corredores de motos”, são por conta da somatória de alta velocidade com a falta do hábito de ligar a seta.

 

3 – Uso do farol baixo: desde 2016 é obrigatório utilizar os faróis baixos em rodovias mesmo durante o dia. O grande problema está na cidade, que por não ser obrigatório, muitas pessoas deixam de fazê-lo até mesmo em horários nos quais a sinalização se torna mais importante. Carros mais modernos em que o painel fica aceso constantemente, fazem com que muitas pessoas esqueçam de acender os faróis até mesmo a noite. Torne como hábito sempre verificar os faróis acesos, isso ajuda muito a enxergar e a ser visto.

 

4 – Respeitar a velocidade: não importa o seu tipo de veículo e a sua pressa, o limite de velocidade tem que ser respeitado. A velocidade elevada está no topo entre os maiores causadores de mortes no trânsito. Seja responsável e respeite os limites das vidas. E se você quiser andar um pouco mais devagar, não tem problema, mas deixe a esquerda livre para quem quer (ou precisa) andar mais rápido.

 

5 – Seja gentil: atitudes como dar passagem para uma travessia de um pedestre ou para outro motorista entrar na sua frente, não vão fazer com que o seu trajeto seja alongado de forma significativa. Ter cuidado ao entrar em rotatórias, respeitando a preferência é muito importante.

 

O respeito à sinalização faz parte das nossas ações perante o trânsito que podem modificar tudo o que traz resultados negativos atualmente, traduzidos em multas, acidentes, ferimentos e mortes. Neste Maio Amarelo, a Itaro quer mostrar que cada um pode fazer um pequeno gesto, que em conjunto com outros, se traduzem em grandes resultados!

A responsabilidade no trânsito é de todos

A forma de observar o trânsito nas grandes cidades pode transformar a segurança e o bem-estar na sua rotina. Entenda a sua parte nessa jornada!

 

Cada vez mais caótico e com maior número de veículos, o trânsito das grandes cidades torna-se mais perigoso a cada ano que passa. São milhares de acidentes e mortes que muitas vezes poderiam ser evitados com simples atitudes dos elementos que compõem o cenário, e tudo é comandado por nós.

 

Se você já mudou de faixa sem ligar a seta, dirigiu teclando no celular, atravessou a rua fora da faixa ou ultrapassou pela direita, saiba que você já foi um potencial causador de um acidente, e se ele não ocorreu, provavelmente foi por sorte ou por cuidado de outras pessoas que estavam próximas a você.

 

A falta de atenção é um dos maiores causadores de acidentes, pois com a atenção focada em outras coisas, a reação é sempre mais lenta, seja a pé, de moto, carro ou qualquer outro veículo. Entender a prática de dirigir como algo que requer atenção e envolve perigo, é um passo inicial importantíssimo para tornar o trânsito melhor.

 

Planeje suas ações no trânsito, analise o que costuma fazer que não é desejável, e aproveite o Maio Amarelo para ter consciência que tem sua função em melhorar a rotina do trânsito através de atitudes positivas, protegendo a si mesmo e a quem está ao redor.

 

Evitar as infrações no trânsito, não é só uma questão de não tomar multas que custam dinheiro e pontuação na carteira, mas sim uma maneira de minimizar os riscos. As leis estão lá por algum motivo, pode ter certeza, e um dos grandes motivos para a criação delas, é proteger a sua vida.

 

O Maio Amarelo deste ano traz consigo o tema Nós Somos o Trânsito, que em uma pequena frase resume o papel de cada um de nós, de mesmo que começando por pequenas ações, transformemos a maneira de agir e possamos criar juntos um ambiente mais amigável, com menos acidentes e mortes.

Maio Amarelo – Nós somos o trânsito

Em sua quinta edição, o Maio Amarelo tem como tema Nós Somos o Trânsito, e é um movimento criado para conscientizar as pessoas com diálogos e ações, com o intuito de transformar as maneiras de lidar com o trânsito, tornando-o mais seguro.

 

O mês e a cor escolhidos não é por acaso, a saber: maio por ter sido o mês no qual a ONU declarou a década de ação para a segurança no trânsito, e amarelo pois é a cor que representa atenção nas sinalizações de trânsito.

 

O Maio Amarelo tem a importante missão de unir o governo, sociedade e empresas com ações repletas de diálogo e informações, criando discussões e mostrando a necessidade da mudança rápida e urgente na redução de acidentes com vítimas no trânsito. Seja com ou sem um veículo, todos tem suas responsabilidades com o trânsito.

 

O Brasil hoje é o quinto entre os países recordistas em mortes no trânsito, atrás apenas da Índia, China, EUA e Rússia. Considerando os outros próximos 5 países, que compõem a lista dos 10 recordistas, temos os 62% das mortes no trânsito. É uma quantidade representativa em relação à quantidade de países, já que diariamente, três mil vidas são perdidas no trânsito. Esta é a nona maior causa de mortes no planeta.

 

Segundo estimativa da OMS, caso nada mude nos próximos anos em relação às mortes, deverão morrer 1,9 milhão de pessoas em 2020, chegando a 2,4 milhões em 2030, além de milhões de sobreviventes com ferimentos e traumatismos, provenientes de acidentes de trânsito. A Década de Ação para a Segurança no Trânsito tem como foco poupar cinco milhões de vidas até o início da próxima década.

 

A ação do Maio Amarelo é uma maneira de mostrar que pequenas atitudes individuais podem tornar o trânsito mais seguro, já que a maioria dos acidentes são resultado de falhas humanas, como falta de atenção ou imprudência. Durante o mês de Maio, no Blog da Itaro você acompanha uma série de posts especiais sobre o tema, acompanhe!

Maio Amarelo: por um trânsito melhor

É inegável que o volume de veículos nas ruas têm aumentado consideravelmente nas últimas décadas. São carros, motocicletas, caminhonetes e bicicletas circulando por aí todos os dias, lutando por espaço e respeito. Em meio a tudo isso, ainda há os pedestres que também compõem o que chamamos de trânsito.

Laço representante do movimento Maio AmareloA fim de conscientizar toda essa massa que transita pela cidade todos os dias sobre os altos índices de acidentes e mortes no trânsito pelo mundo, foi criado o “Maio Amarelo”. Bem parecida com o “Outubro Rosa” e o “Novembro Azul”, a ação é coordenada numa parceria entre poder público e sociedade civil.

O Maio Amarelo traz à tona temas como a segurança viária, mobilizando as pessoas a discutir e refletir sobre os efeitos práticos que cada um tem no trânsito. A ideia é fazer com que as pessoas pensem que suas atitudes influenciam em todo o conjunto e impacta não só os envolvidos, mas também a cadeia. Afinal, se você bate o carro em determinado local, o fluxo naquela região será alterado devido ao incidente.

Os idealizadores do projeto referem-se ao Maio Amarelo não como campanha, mas como movimento. Por isso, qualquer cidadão ou empresa pode criar ações internas e externas em prol de um trânsito melhor, trazendo à sociedade a consciência de que acidentes devem ser tratados como epidemia, sendo combatidos como tal.

Participe do Maio Amarelo! Sua atitude de respeito com o próximo pode refletir nos demais e, assim, criar uma rede de cidadãos preocupados com os demais, sejam eles veículos, bikes ou pedestres.